Clariane Nogueira

Salva-Vidas AmazôniaPerfil dos Missionários

 
Image
CLARIANE NOGUEIRA
35 ANOS
CAMPO GRANDE / MS
COORDENADORA DE MISSÕES
 
 

PROFISSÃO / ÁREA DE FORMAÇÃO

Arquiteta

HOBBIES E INTERESSES PESSOAIS

Gosto muito de ler, remar, correr, trabalhar, ser útil e estar em meio à natureza em lugares ermos.

LIVRO PREDILETO

Acho que todo missionário tem como livro predileto a Bíblia, mas outros que falam muito comigo são: Serviço Cristão - Ellen White e Louco Amor - Francis Chan

UM SONHO DE INFÂNCIA

Ser independente e importante.

UM SONHO ATUAL

Ser mais parecida com Cristo

HÁ QUANTO TEMPO ESTÁ SERVINDO NA AMAZÔNIA

Cheguei em 2019.

POR QUE ESCOLHEU A AMAZÔNIA?

Quando decidi que queria ser missionária, comecei a ler sobre isso e procurar saber mais. Pesquisei oportunidades de missões de 10 dias, algo que se encaixasse nas minhas férias, e algumas pessoas que eu conhecia que já tinham feito me indicaram vir para a Amazônia. Então me inscrevi na minha primeira missão. Voltei muito impactada e comecei a orar por uma oportunidade de servir a Deus integralmente. Na minha segunda missão eu soube da vaga para coordenadora de missões e me inscrevi.

O QUE ME MOTIVA A PERMANECER NO CAMPO MISSIONÁRIO?

Estou chegando agora e ainda tenho muita coisa pra entender e aprender, talvez minhas motivações ainda não sejam as mais corretas, mas de uma coisa tenho certeza, e isso é que fomos criados para dedicar nossa vida nosso tempo e nossos bens para servir a Deus e ao próximo. É assim que encontramos paz e alegria verdadeira. Nada se compara a conhecer a Cristo completamente e viver os propósitos dele para nós.

CONTE ALGUMA EXPERIÊNCIA QUE TE MARCOU EM SEU TEMPO DE SERVIÇO COMO MISSIONÁRIO NA AMAZÔNIA

Estávamos chegando na comunidade Nova Jerusalém para uma missão de 10 dias. Há uma escola técnica lá mantida por doações e pelo município de Barreirinha. Os professores são todos missionários e quando chegamos estavam ansiosos pois trazíamos conosco o novo gerador para substituir o que eles tinham e que havia estragado. Esse equipamento era responsável por puxar a água do poço e levar luz para a escola e para as casas deles. Naquele momento já estavam totalmente sem água, bebendo água da chuva recolhida em tambores. Agora imagina isso num lugar que você precisa beber uns 3 a 4 litros de água por dia pra não ficar desidratado... Era inacreditável ver a que ponto chegavam apenas por amor à Cristo e àquelas crianças. Com esforço descomunal alguns voluntários conseguiram tirar o gerador do barco e subir a ribanceira amarrando ele numa tora: precisou uns 12 homens para levantar a tora nos ombros, içar o gerador e levar até o local definido. O problema agora seria ligar o gerador. Ninguém tinha experiência e todos estavam receosos de estragar o equipamento super caro e correr o risco de ficar mais sei lá quanto tempo sem luz e água na escola e nas casas dos missionários. Então o capitão do nosso barco tomou coragem e começou a fazer as conexões com os fios existentes. Estávamos todos em volta observando super tensos e receosos. Tenho certeza que todos estavam orando naquele momento. Eu estava. Depois de tudo pronto, ele deu partida e não pegou. Tentou mais umas duas vezes e nada. Lá pela quarta tentativa enfim pegou! Nossa, foi uma festa! Um momento muito emocionante para os voluntários e principalmente para os professores missionários, que já estavam há 30 dias sofrendo com a falta de energia e água. Você tinha que ver a alegria deles com a chegada da luz!!!!

VOCÊ JÁ PENSOU EM DESISTIR E IR EMBORA DO CAMPO MISSIONÁRIO? O QUE TE FEZ PERMANECER?

Embora sejam muitos os desafios diários, ainda não pensei em desistir.

SE VOCÊ FOR PENSAR EM SUA VIDA DAQUI 10 ANOS, ONDE VOCÊ GOSTARIA DE ESTAR E FAZENDO O QUÊ?

Essa foi a pergunta que eu me fiz há uns 2 anos atrás quando estava confortavelmente sendo arquiteta em São Paulo, construindo uma sólida carreira. Me dei conta de que não queria investir 10 anos da minha energia para no fim me tornar uma diretora da empresa, ter mais dinheiro, posição ou bens. Me pareceu um desperdício de energia. Foi quando me imaginei missionária que as coisas fizeram sentido: A energia de 10 anos me pareceu muito bem empregada e essa hipótese me deixou muito feliz. E aqui estou, servindo a Cristo e disposta a ir aonde Ele me enviar.